Romaria das Pessoas com Deficiência é marcada pela luta por mais inclusão e visibilidade

foto destaque
APAE-ES
06 de abril de 2024
Antes das 7h30 da manhã do último sábado (6), ônibus de diversos municípios pararam na praça Duque de Caxias, no Centro de Vila Velha, vindos de vários municípios do interior. Dezenas de pessoas desembarcaram, prontas para a 17ª edição da Romaria das Pessoas com Deficiência. Muito além de sinalizar a fé e a devoção das famílias por Nossa Senhora da Penha, padroeira do Espírito Santo, o evento marca a luta pela inclusão. Para quem participa, estar lá é reforçar que as pessoas com deficiência precisam ser vistas e ocupar todos os espaços.

“Apesar de ser evangélica, eu participo da Romaria todos os anos porque sei da importância e do destaque que ela traz para as nossas crianças”, defendeu a doceira Dulcileia Ferreira Souza, que estava junto do filho, David Daniel, de 16 anos. “Meu filho tem hidrocefalia e frequenta a Apae de Vila Velha desde os três anos de vida. Ele merece brincar, ter saúde e lazer como todos os meninos da idade dele”.
Organizada pelo Fórum de Entidades de Pessoas com Deficiência, a Romaria faz parte da programação da Festa da Penha de 2024. A Federação das Apaes do Espírito Santo (Feapaes-ES) participou em peso, com a presença de membros das Apaes de 23 municípios capixabas, além de familiares, amigos e frequentadores da Vitória Down, Amaes, Pestalozzi e outras entidades.

De acordo com a presidente da Feapaes-ES, Maria das Graças Vimercati, a manifestação religiosa é de grande importância para que o grupo continue conquistando espaço. “Ano após ano estamos aqui, propondo melhorias nas políticas públicas, maior acessibilidade nos espaços e reivindicando direitos”, comentou.
Segurando balões, cantando e rezando, os fiéis caminharam até a Prainha, na praça da Igreja do Rosário, onde foi celebrada uma missa. O pároco, Padre Carlos, celebrou o trabalho das entidades de assistência às pessoas com deficiência. “Vocês são enviados de Cristo. Cada vez que vocês se aproximam de uma família e apresentam novos caminhos, dando esperança, qualidade de vida e informações sobre tratamentos, vocês estão cumprindo a importante missão que Cristo deu a vocês”.
Os autodefensores Matheus Gomes de Souza e Dayane Prates da Silva, que atuam como porta-vozes das pessoas com deficiência na Feapaes-ES, participaram da romaria e pedem visibilidade. “As pessoas não nos enxergam. Estamos presentes no dia a dia, na sociedade e no mercado de trabalho. Acima de tudo, precisamos de respeito e oportunidades”, ressaltou Dayane.