RESULTADO DE EXAMES

Quem somos

Apae ES

A Apae de Vitória é um serviço de referência no atendimento a pessoas com deficiência intelectual e/ou múltipla e/ou autismo nas áreas da Saúde, Assistência Social e Educação, de forma gratuita.

Hoje, a Organização conta com um time qualificado de profissionais, formado por 114 funcionários, grande parte dos quais são técnicos ou com formação superior, profissionais especializados, habilitados a atender as diversas necessidades da Instituição.

Com 53 anos de funcionamento, a Instituição alcançou muitos avanços, tanto na melhoria de sua estrutura física, quanto na ampliação dos serviços prestados.

É uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, com atuação nas áreas de Assistência Social, Educação, Saúde, prevenção, trabalho, profissionalização, defesa e garantia de direitos.

Integra uma rede de 40 Apaes que funciona em diversos municípios do Estado atendendo 7.500 usuários e familiares, e empregando direta e indiretamente cerca de 2.500 pessoas.
foto

Qual a nossa história?

O Movimento Apaeano teve início no Espírito Santo no dia 7 de maio de 1965, quando a Apae de Vitória foi inaugurada após o Instituto Educacional do Espírito Santo (Inedes) ser extinto. Lá eram atendidas crianças com deficiência intelectual chamadas naquela época de excepcionais. O patrimônio da Entidade foi transferido para a criação da Apae da Capital, a primeira do Estado.

A Instituição iniciou o atendimento a 50 crianças e jovens e a primeira equipe contava com diretor, secretário, seis professores e outras quatro pessoas no apoio. Os serviços foram iniciados no setor Pedagógico e no Centro de Reabilitação, que oferecia Fisioterapia. As atividades já aconteciam no local onde a Instituição funciona hoje, no bairro Bento Ferreira.

A Apae de Vitória iniciou suas atividades trazendo a convicção de que as pessoas com deficiência intelectual e múltipla precisavam de uma atenção diferenciada. A visão estava em sintonia com o Movimento Apaeano no Brasil que defendia o modelo social, considerando a deficiência como um fator que emerge mais do ambiente hostil e das barreiras físicas e atitudinais, que propriamente do sujeito, entendimento pioneiro que só passou a ser mais comum a partir da década de 80.

O grande diferencial do trabalho da Apae está no fato de ela ter sido constituída por pais e outras pessoas amigas da causa, o que torna a Instituição um verdadeiro capital social construído a partir dos anseios das famílias atendidas.